Vídeo: Capitão da Seleção diz que atletas ‘estão juntos’ contra Copa América

Jogadores contra Copa América – Casemiro endossou as palavras do técnico Tite e, como capitão, deixou bastante claro que o grupo da seleção brasileira está unido contra a disputa da Copa América em solo nacional. O anúncio da recusa será após o jogo contra o Paraguai, na terça-feira, em Assunção. O jogador não falou abertamente por respeito com o combinado entre eles, para não tirar o foco nas Eliminatórias. Mas a indignação no elenco é grande.

Os jogadores, ao lado do técnico Tite, não admitirão a imposição da CBF em disputar uma competição de um mês num país com quase 500 mil mortes e ainda sem garantias de segurança contra a covid-19. Vão se manifestar contrário à escolha, mostrando que a maneira como a competição acabou mudando de sedes sem consentimento dos atletas não foi de maneira correta. Colômbia, primeira, depois Argentina, abriram mão da competição por causa da pandemia de coronavírus.

LEIA: Manifestações: mídia brasileira oculta mobilizações contra Bolsonaro
LEIA: Reforma tributária de Guedes quebra promessa de campanha

“Todos sabem a nossa opinião. Não podemos falar do assunto, mas não vamos deixar de falar”, afirmou o volante. “Mais claro, impossível. Existe respeito à hierarquia e ainda não podemos dar nossa opinião.”

Tite revelou encontro do elenco com o presidente da CBF, na quinta-feira, no qual acabou manifestado o descontentamento do time em disputar a Copa América no Brasil. Casemiro confirmou as palavras do técnico. “Queremos falar depois do jogo com o Paraguai para não tirar o foco. Hoje, é falar que ganhamos um jogo de Copa do Mundo”, pediu. “Nós iremos falar. O Tite já explicou o que rolou, nos posicionamos.”

Por fim, Casemiro enfatizou que não há divisão entre os jogadores sobre a escolha. Todos estão unidos pela mesmo causa. “Falaremos no momento oportuno. Não sou eu ou só os jogadores da Europa. Falo pelo grupo, todos estão com a mesma posição e a comissão técnica junto. Estamos todos juntos.”

Durante o jogo, o grupo fez questão de mostrar essa revolta e como se fechou no assunto. A comemoração dos dois gols diante do Equador foi no banco, com equipe inteira festejando com Tite. No fim, todos ainda deixaram o gramado lado a lado.

Na coletiva de imprensa, após a vitória contra o Equador, o técnico da seleção voltou a comentar sobre a situação das polêmicas  envolvendo a Copa América. Questionado sobre como blindar os jogadores em relação ao momento fora de campo, o treinador da seleção disparou: “Joga a bola e vai”.

LEIA: Desemprego: brasileiros há mais de 2 anos sem trabalho
LEIA: Opinião: “Na crise, é hora da sociedade ocupar as ruas”

Diante da pressão por conta dos últimos dias, o treinador falou sobre como tem sido executar sua função à frente da seleção citando uma frase do ex-presidente do Estados Unidos, Barack Obama. “Estou fazendo o meu trabalho normalmente. Sempre faço. Estou em paz comigo mesmo. Uma resposta extraordinária que guardo para mim, que o Obama deu na entrevista ao Pedro Bial. ‘Minhas adversidades são muito pequenas em relação a de uma série de pessoas, elas talvez enfrentem problemas de saúde, de alimentação, são muito maiores que os meus.’ Os meus problemas são fáceis. Pressões? Normais. Vamos trabalhar para isso”, destacou.

Sobre os rumores de sua saída da equipe técnica, Tite disse que não estava “fungindo da resposta” e que deve comentar o caso no futuro.  “Coloquei anteriormente que ia me manifestar. Vocês podem levantar qualquer hipóteses, só peço para terem cuidado. Vou me reportar sim, em momento importante. Não agora”, enfatizou, que continuou. “Jogo foi muito difícil, contra Equador, tinha melhor ataque na competição. Conseguimos ter 16 finalizações, com sete no gol. Primeiro tempo muito difícil. Não estou fugindo da resposta. Casemiro foi muito feliz. É o meu pensamento. temos consciência que há a hora certa para fazer a coisa certa.”

Segundo treinador

Em recuperação de lesão muscular, o zagueiro Thiago Silva acompanhou a delegação em Porto Alegre e, das tribunas do estádio, passou o jogo todo “cantando” a partida. Orientava os defensores na marcação e também pressionou a arbitragem no lance do pênalti. O defensor é o mais experientes do grupo e não foi cortado justamente pela liderança que impõe.

Fonte: Estadão

Para entender a crise na Colômbia: explosão social e fim do uribismo

No último mês a Colômbia viveu momentos de grande esperança, assim como de grande tristeza e incerteza: por um lado, a maior mobilização da história recente do país e, por outro, uma repressão estatal sem precedentes.

Leia a matéria completa aqui.

Uma nova era econômica: o que esta havendo com a inflação?

A reunião do mais importante comitê econômico do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, em dezembro foi rotineira. Os participantes concordaram em que a economia tinha capacidade de lidar com o nível crescente de gastos “sem qualquer pressão forte de alta sobre os preços”.

Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Facebook Comments Box
Compartilhe

Written by:

1.383 Posts

View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *