Rejeição à Bolsonaro dispara, sobe 5 pontos em 15 dias e atinge 59%, diz pesquisa

Rejeição à Bolsonaro dispara – Pesquisa PoderData realizada nesta semana (24 a 26) mostra que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro voltou a subir e igualou o recorde de 59%, uma alta de 5 pontos percentuais em relação a duas semanas antes. É o maior nível desde junho de 2020, quando essa pergunta passou a ser feita a cada 15 dias.

A gestão federal, no entanto, segue sendo bem avaliada por 35% dos brasileiros. Era 36% há duas semanas. A variação se deu dentro da margem de erro, que é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa foi a 1ª realizada com a CPI da Covid funcionando já de maneira plena, sobretudo depois de todos os depoimentos de ex-ministros da Saúde. A comissão tem produzido intenso conteúdo noticioso negativo sobre o governo Bolsonaro.

ASSISTA: Vídeo: Presidente da CPI da Covid dispara contra senador: “Oportunista!”

Nesta semana, na 2ª e na 3ª feira (24 e 25 de maio), o Jornal Nacional, na TV Globo, dedicou 6min16s e 7min48s, respectivamente, a reportagens sobre a investigação no Senado. Além disso, teve mais 24 minutos somados, nos 2 dias, a respeito de fatos correlatos à pandemia de coronavírus.

O resultado indica que o noticiário desfavorável não chega a perfurar o núcleo de apoio mais próximo do presidente. Mas teve impacto sobre o crescimento da desaprovação.

Outro fenômeno notado nesta rodada do PoderData é a redução dos eleitores “indiferentes”, os que respondem não ter opinião. Há 15 dias, 10% diziam não saber se aprovavam ou desaprovavam o governo Bolsonaro. Agora, são 6%.

Rejeição à Bolsonaro dispara:

Rejeição à Bolsonaro dispara

Os números de avaliação do trabalho pessoal do presidente também indicam um quadro de maior polarização. Os brasileiros que consideram Bolsonaro “regular” eram 19% há duas semanas e passaram a ser 13%.

Já a proporção dos que avaliam seu trabalho pessoal como “ruim” ou “péssimo” foi de 51% para 55%. Outros 28% dizem que o presidente é “bom” ou “ótimo”, mesmo número da pesquisa anterior.

Rejeição à Bolsonaro dispara

Esta pesquisa foi realizada no período de 24 a 26 de maio de 2021 pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram 2.500 entrevistas em 462 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

LEIA: Flávio Bolsonaro deixa Republicanos e aguarda o pai decidir seu destino

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Destaques demográficos: Avaliação do trabalho do governo

Os que têm de 16 a 24 anos (75% desse grupo), os moradores da região Nordeste (66%) e os que ganham de 5 a 10 salários mínimos (70%) são os estratos que mais rejeitam a administração bolsonarista.

Já os que mais aprovam são: homens (40%), os que têm de 45 a 59 anos (43%) e os moradores da região Norte (74%). Os demais grupos têm variações que se igualam à média geral, considerando a margem de erro.

Leia a estratificação completa no infográfico abaixo:

Destaques demográficos: Avaliação do trabalho de Bolsonaro

O Poder360 destaca os seguintes recortes:

  • sexo – 35% dos homens aprovam o presidente; entre mulheres, a taxa é de 22%;
  • região – 62% da região Sudeste rejeitam Bolsonaro; no Norte, taxa é de 21%;
  • renda – dos mais ricos (que ganham mais de 10 salários mínimos), 63% rejeitam o presidente; taxa cai para 51% entre desempregados e para 50% entre os que ganham de 5 a 10 salários mínimos.

Leia a estratificação completa no infográfico abaixo:

Rejeição à Bolsonaro dispara

Pesquisa mais frequente

O PoderData é a única empresa de pesquisas no Brasil que vai a campo a cada 15 dias desde abril de 2020. Tem coletado um minucioso acervo de dados sobre como o brasileiro está reagindo à pandemia de coronavírus.

Num ambiente em que a política vive em tempo real por causa da força da internet e das redes sociais, a conjuntura muda com muita velocidade. No passado, na era analógica, já era recomendado fazer pesquisas com frequência para analisar a aprovação ou desaprovação de algum governo. Agora, no século 21, passou a ser vital a repetição regular de estudos de opinião.

Fonte: Poder 360

Destino de Tabata Amaral pode ser Solidariedade de Paulinho da Força

O Brasil Independente apurou com exclusividade que o destino mais provável da deputada federal Tabata Amaral (sem partido-SP) é o Solidariedade, partido comandado pelo deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força.

Leia a matéria completa aqui.

Vídeo Ciro Gomes: “Brasil tem o menor salário-mínimo da América Latina”

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) denunciou nesta quarta-feira (26) o baixo salário mínimo no Brasil, que hoje é R$ 1.100. No vídeo publicado pelo presidenciável do PDT, Ciro termina dizendo: “Precisa dizer mais? Vamos mudar isso?”.

Assista e leia a matéria completa aqui.

Sindicatos e movimentos sociais exigem auxílio emergencial de R$ 600 em ato

Nesta quarta-feira, centrais sindicais e movimentos sociais fizeram uma manifestação em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, em defesa do auxílio emergencial. Ele foi criado para ajudar famílias socialmente vulneráveis e trabalhadores informais que viram sua renda despencar por conta da pandemia de Covid-19.

Leia a matéria completa aqui.

Documento da CPI: Forças Armadas negaram leitos disponíveis em hospitais militares

Diante de pedidos de estados e municípios, as Forças Armadas negaram o compartilhamento de leitos de enfermaria e de UTI com civis, apesar de haver vagas disponíveis em hospitais militares, segundo informações de documento enviado pelo Ministério da Defesa à CPI da Covid no Senado.

Leia a matéria completa aqui.

Variante indiana da covid-19 é detectada em SP

O Instituto Adolfo Lutz, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SP), identificou um caso com a variante indiana do coronavírus, chamada de B.1.617. A informação foi divulgada pelo governo estadual na manhã desta quarta-feira (26).

Leia a matéria completa aqui.

 

Facebook Comments Box
Compartilhe

Written by:

1.338 Posts

View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *