PSDB e DEM travam ‘guerra fria’ para as eleições de 2022

Aliados em todas as eleições presidenciais, desde 1994, o PSDB e o DEM travam agora uma “guerra fria” em busca de protagonismo para a disputa de 2022. O embate passa pelo palanque em São Paulo e opõe os antigos parceiros. O presidente do DEM, ACM Neto, já avisou o governador João Doria que, se ele insistir em filiar o vice, Rodrigo Garcia, ao PSDB, as negociações entre os dois partidos para 2022 estarão encerradas.

Garcia é do DEM, mas negocia a migração para o PSDB, assim como o ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia. O movimento de Doria, que quer fazer de Garcia o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, em 2022, contraria ACM Neto. O projeto presidencial de Doria também enfrenta resistências de dirigentes tucanos. Além disso, de uns tempos para cá, o DEM tem indicado que não vai endossar a possível candidatura do governador à sucessão do presidente Jair Bolsonaro.

O DEM conta com dois nomes que podem entrar na briga pelo Palácio do Planalto: o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG). Descontente com a investida de Doria sobre o DEM, no entanto, uma ala do partido de ACM Neto tenta enfraquecer o projeto do governador paulista.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), disse nesta segunda-feira (19), por exemplo, que apoia a candidatura do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, à Presidência, em 2022. Leite é hoje o principal adversário de Doria nas fileiras do PSDB.

“Eu acho o Eduardo Leite, hoje, o quadro mais qualificado do Brasil, e quero dizer que, se ele for em frente com essa candidatura presidencial, já tem um cabo eleitoral na cidade do Rio de Janeiro. Eu vou fazer campanha para o Eduardo Leite. É só dizer que deseja ser candidato”, afirmou Paes.

Defesa da democracia

Recentemente, Doria, Leite, Mandetta e outros três presidenciáveis ­- Ciro Gomes (PDT), ex-ministro da Integração Nacional; João Amoêdo (Novo), empresário; e Luciano Huck, apresentador de TV – assinaram uma carta em defesa da democracia e com críticas veladas a Bolsonaro.

Aliados do prefeito do Rio disseram que ele também tenta fazer com que Leite troque o PSDB pelo DEM. Procurado, o governador gaúcho confirmou que costuma conversar sobre 2022 com Paes, mas não a respeito de mudança partidária. “Venho tendo algumas conversas com ele, recentemente, sobre o tema (…). O essencial agora é ver como aglutinar mais pessoas num projeto para o País. Mais adiante é que devemos consolidar esse projeto em torno de um nome e, naturalmente, das legendas que deverão dar sustentação ao projeto”, observou Leite.

Apoio a Baleia Rossi

Outro ponto na queda de braço entre o PSDB e o DEM diz respeito a Maia. Em fevereiro, o ex-presidente da Câmara anunciou que vai sair do DEM. O desentendimento ocorreu após a cúpula do partido se negar a apoiar o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), candidato de Maia ao comando da Câmara. À época, a maioria dos deputados do DEM avalizou Arthur Lira (Progressistas-AL), que foi eleito para comandar a Câmara até 2023.

Maia ainda não bateu o martelo sobre a ida para o PSDB. No atual cenário, porém, é provável que o seu destino político seja este, uma vez que problemas regionais, especialmente no Rio, seu reduto eleitoral, têm pesado para a filiação ao MDB, partido com o qual estava negociando.

Do grupo de Maia, Paes gostaria que o ex-presidente da Câmara permanecesse no DEM. O próprio prefeito do Rio foi convidado para retornar ao PSDB, partido ao qual já esteve filiado, mas até agora resiste a essa alternativa.

Paes chegou a sondar ACM Neto para saber se ele aceitaria a permanência de Maia. O presidente do DEM não teria apresentado objeção, desde que o deputado estivesse disposto a se entender com ele. Maia, contudo, disse que não ficará no DEM “sob nenhuma hipótese”. Ele também negou que Paes esteja tentando impedir sua saída. Para não perder o mandato, o ex-presidente da Câmara pretende entrar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de desfiliação por “justa causa”. Procurado, Paes não se manifestou.

Fonte: R7

Renato Janine Ribeiro: A lógica de Ciro Gomes

O comportamento irascível, até temperamental, de Ciro Gomes tem uma lógica: ele acredita que Bolsonaro não irá ao segundo turno em 2022. Vejam, praticamente todos os analistas entendem que é quase certa uma disputa Lula-Bolsonaro na final das próximas eleições presidenciais. Leia a matéria completa aqui.

Sâmia Bonfim dispara contra Boulos e PSOL por reunião com ‘bolsonarista’

A deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP) disparou publicamente contra o colega Guilherme Boulos (PSOL-SP) e o próprio partido, nesta terça-feira (20), por uma postagem que exalta a polêmica reunião entre Boulos e Marcos Pereira, presidente do Republicanos, partido ligado à igreja Universal de Edir Macedo. “O Republicanos é bolsonarista”, acusou a psolista. Leia a matéria completa aqui.

Futebol com rosto de Bolsonaro como bola não justifica inquérito, diz MP

O procurador Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, da Procuradoria da República no Distrito Federal, arquivou na última sexta-feira (16/4) inquérito policial aberto contra a produtora Gorila Company pela produção de um vídeo em que um molde da cabeça do presidente Jair Bolsonaro é usado como bola de futebol. Leia a matéria completa aqui.

Boulos vai a jantar com presidente de partido ligado à Universal

Pré-candidato ao governo de São Paulo em 2022, o líder sem-teto Guilherme Boulos (PSOL) jantou na noite da última sexta-feira com o deputado federal Marcos Pereira (SP), presidente do Republicanos, partido ligado à Igreja Universal. A conversa serviu para Boulos tentar romper resistências ao seu nome entre os evangélicos. Leia a matéria completa aqui.

Bolsonaro e Lula são dois extremos e PT deveria abrir mão da cabeça de chapa, diz líderança do PDT

Membro da Executiva Nacional do PDT e presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros, Antonio Neto acredita que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e Lula (PT) são dois polos que se alimentam e precisam um do outro. Para ele, chegou o momento do PT aceitar o ocupar a vice-presidência, embora essa situação seja “quase impossível porque a vaidade não lhe permite isso”. Leia a matéria completa aqui.

Ciro sobre 2022: “Probabilidade de Bolsonaro estar no 2º turno é quase nenhuma”

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) disse em entrevista para o jornal A Tarde que a chance do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegar ao 2º turno nas eleições presidenciais em 2022 é quase nula. Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.690 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.