Patriota não quer Bolsonaro e afasta presidente da sigla por 90 dias

A decisão do Patriota foi tomada nesta quinta-feira (24), durante convenção nacional do partido. Barroso e o senador Flávio Bolsonaro (RJ), que se filiou recentemente à sigla, não participaram da convenção e não justificaram a ausência.

LEIA: Luís Miranda pede prisão de Onyx Lorenzoni à CPI da Covid
LEIA: Daniel Silveira é preso de novo após tirar tornozeleira 30 vezes
LEIA: Desigualdade dispara no Brasil e 1% mais rico tem 50% da riqueza

O vice-presidente do Patriota, Ovasco Resende, assume o comando da sigla. O afastamento de Barroso é válido por 90 dias, prorrogáveis por mais 90 dias.

Durante esse período, o caso será analisado pelo conselho de ética da sigla e Barroso terá todo o direito à defesa.

Após a analisado pelo conselho, o caso volta para deliberação da executiva nacional do partido, que deliberará sobre o afastamento definitivo.

Família Bolsonaro

O pano de fundo para o afastamento de Barroso é a filiação da família Bolsonaro à sigla.

Segundo Jorcelino Braga, secretário-geral do Patriota, as conversas sobre a filiação do presidente Jair Bolsonaro foram tratadas “individualmente” por Barroso, à revelia do estatuto do partido.

“Isso nunca foi tratado conosco, isso foi tratado individualmente pelo Adilson com a família Bolsonaro sem falar com os membros do conselho político”, afirmou Braga.

LEIA: Luis Miranda confronta Bolsonaro: “Fala tanto em Deus, essa é a recompensa?”
LEIA: Witzel vai revelar crime de Bolsonaro à CPI e pede “escolta policial”
LEIA: Miranda dispara contra Onyx: “Não me sinto coagido, vou botar ele na cadeia”

Integrantes de uma ala do partido acusam Barroso de tentar mudar o estatuto da sigla para atrair o presidente Bolsonaro para a legenda.

Braga diz que o partido não tem nada contra a filiação de Bolsonaro, mas, primeiro, precisa saber quais são as condições.

“Nós não temos nada contra a vinda do Bolsonaro ao partido, ele é bem-vindo, o que nós somos contra é a forma que as coisas foram conduzidas. Ele não conversou conosco”, explicou Braga.

LEIA: Tico Santa Cruz: “Lula não é minha opção para o 1º turno de 2022”
LEIA: MP denuncia 35 PMs por motim no Ceará em que Cid Gomes foi baleado
LEIA: Carta-bomba de Palocci ao PT escrita em 2017: ‘Presenciei desmonte moral’ de Lula

“O que nós queremos é sentar na mesa para saber em que condições que ele quer vir para o partido, o que ele está exigindo, que projeto que tem”, completou.

Comissão

“O conselho criado vai ter autonomia para discutir isso e levar para convenção nacional específica”, explicou Braga.

Fonte: G1

RECEBA NO SEU CELULAR AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DO DIA

Telegram: AQUI
Whatsapp: AQUI

SE VOCÊ APOIA O IMPEAHCMENT DE JAIR BOLSONARO, ENTRE NESSES GRUPOS:

Facebook: AQUI
WhatsApp: AQUI
Telegram: AQUI
Instagram: AQUI

LEIA: Ricardo Salles pede demissão após virar alvo da PF

LEIA: Amanda Salgado: “Falsos patriotas…o verde e amarelo é nosso!”
LEIA: Pazuello lidera em potenciais falsos testemunhos; CPI aponta 38
LEIA: Tasso pode apoiar Ciro: ‘Candidato de centro não tem que ser do PSDB’

Governo quer flexibilizar validade de alimentos no Brasil

Em um aceno ao setor de supermercados, o governo vai criar um grupo de trabalho para avaliar proposta de flexibilização da regra que trata da validade de alimentos no Brasil. A sugestão é adotar modelo que permita vendas de baixo custo e doações a partir de determinado prazo.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Wilson Witzel diz que é perseguido por investigar morte de Marielle
LEIA: Witzel diz que revelará ‘fato gravíssimo’ contra Bolsonaro em reunião sigilosa

Witzel: Milícia atua na máfia da saúde no RJ; ‘Corro risco de vida’

Em depoimento à CPI da Covid nesta quarta-feira (16) no Senado, o ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, afirmou que ele e sua família correm risco de vida e que seu impeachment foi financiado por uma máfia na área de saúde.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Casal acusa jovem negro de roubo, é denunciado por racismo e demitido
LEIA: 19J: Manifesto da JS-SP pede povo unido por vacina, trabalho e fora Bolsonaro

Sociólogo diz que desistência de Huck ‘beneficia centro-esquerda’

Em entrevista publicada no Estadão e assinada pelo jornalista Pedro Venceslau, o especialista em pesquisas eleitorais, sociólogo Antonio Lavareda, presidente do conselho do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), disse que os partidos que buscam uma “terceira via” nas eleições presidenciais de 2022, como alternativa à polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), precisam encontrar um nome que atinja os dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto até o início do ano que vem.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Kalil não descarta ser vice de Ciro Gomes: “É um ótimo nome”
LEIA: Flávio Dino: ‘Não excluo Ciro Gomes e PDT de qualquer debate’

LEIA: Luciano Huck desiste da presidência em 22 e terá domingo na Globo

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.631 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.