Luis Miranda diz que áudio é ‘falso’ e que vai pedir prisão de PM

Luis Miranda diz que áudio é ‘falso’ – Nota assinada pelo jornalista Caio Barbieri na coluna Janela Indiscreta, no site Metrópoles, traz a informação de que após desmentir acusações feitas pelo policial militar e empresário Luiz Paulo Dominguetti Pereira, representante da empresa Davati, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) decidiu ir a um cartório, em Brasília.

O objetivo foi o de criar uma ata notarial sobre as trocas de mensagens que, segundo ele, teriam ocorrido “em outubro de 2020” e se tratavam de aquisição de luvas a serem comercializadas para cliente nos Estados Unidos.

Miranda disse que o registro cartorial será o primeiro passo para fundamentar um pedido de prisão contra o representante comercial na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. O depoente desta quinta-feira (01) também é policial militar.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Chefe da CIA é visto em Brasília e tem reunião ‘secreta’ com Bolsonaro
LEIA: Senador pede prisão em flagrante de policial após áudio suspeito na CPI
LEIA: PSDB adere a manifestação contra Bolsonaro; MBL avalia adesão
LEIA: Bolsonaro encontrou Ricardo Barros ao menos dez vezes após denúncia
LEIA: Polícia Federal abre investigação sobre o ‘escândalo Covaxin’
LEIA: Internautas cobram ‘sumiço’ de Lula após escândalos no governo Bolsonaro

“Eu estou no cartório agora, da Asa Norte, fazendo uma ata notarial dessas conversas, para comprovar que a relação é lá de setembro, de setembro e outubro de 2020. Tratava-se de uma aquisição de luvas para o mercado interno americano”, assegurou o parlamentar.

De acordo com o deputado, toda a conversa será transcrita, uma vez que ele manteve as mensagens arquivadas até hoje. “Eu nunca deleto, porque não tenho rabo preso, diferente deles, né? Eu tenho como comprovar tudinho aqui agora. Vou fazer a ata notarial e já retorno para pedir a prisão do cara para a CPI”, disse.

Compra de luvas

Mais cedo, Luis Miranda já havia afirmado que seria “mentira” a acusação feita pelo policial militar e empresário Dominguetti, representante da empresa Davati, de que o parlamentar teria feito contato com o procurador da empresa, Cristiano Alberto Carvalho, para negociar compra de vacinas AstraZeneca.

A declaração ocorreu durante o depoimento do empresário para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19.

“Mentira. Nunca na vida falei com essas pessoas sobre vacina”, afirmou o parlamentar.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: ‘Superpedido’ de impeachment de Bolsonaro é apresentado
LEIA: Ciro Gomes: “Tem que derrubar porque Bolsonaro é um criminoso”
LEIA: Zambelli diz que abandona Bolsonaro ‘se eu souber que ele roubou’
LEIA: Governo Bolsonaro pediu propina por vacina, diz vendedor à Folha
LEIA: Ministério da Saúde suspende contrato para compra da Covaxin

Questionado se conhece algum Cristiano, Miranda respondeu que, “nos Estados Unidos, um cara com esse nome ofereceu luvas para um cliente nos USA [Estados Unidos] através da minha empresa”, pontuou. Segundo o parlamentar, trata-se de uma gravação antiga.

Miranda chegou a entrar na sala da CPI, mas acabou deixando o local, após ser hostilizado por integrantes da base governista no Senado Federal.

Investidas

Para os senadores, Dominguetti destacou que, após protocolar proposta de venda no Ministério da Saúde, diversos assessores e parlamentares passaram a procurar a empresa para se oferecerem como intermediadores das negociações.

“Tenho informação de que um parlamentar tentou negociar busca por vacinas dentro da Davati. Isso eu tenho. A informação que tenho é de um: o que aqui que fez acusação contra o presidente da República”, declarou, referindo-se a Miranda.

Ao ser questionado se seria, de fato, o deputado Luis Miranda, Dominguetti confirmou. “Sim, senhor, excelência. [Luis Miranda] Procurou a Davati, [e] o Cristiano [Alberto Carvalho, procurador da empresa], tentando negociar a compra de vacinas”, respondeu.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Governo Bolsonaro suspeita que Arthur Lira incitou Luís Miranda
LEIA: Ciro Gomes conversa com ‘Turma Boa’ em plenária do ‘Agora É Ciro’
LEIA: Planos devem R$ 3 bilhões ao SUS, valor de 58 milhões de vacinas, diz site
LEIA: Bandeira vermelha sofre reajuste de quase 100%; contas de luz vão disparar

Segundo Dominguetti, Cristiano Carvalho relatou para ele que, “volta e meia, parlamentares o procuravam e quem o mais incomodava era o deputado Luis Miranda, que era mais insistente”.

“Cristiano me enviou um áudio pedindo uma live, que tinha um cliente dele mais recorrente que comprava pouco e em menor quantidade, mas que poderia colocar a vacina para rodar”, disse o depoente, que, em seguida, disponibilizou o áudio.

Dominguetti afirmou à jornalista Constança Rezende, do jornal Folha de S.Paulo que o então diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, durante um jantar no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, região central da capital federal, teria pedido a propina de US$ 1 por dose de vacina, no dia 25 de fevereiro. Dias foi exonerado na quarta-feira (30).

RECEBA NO SEU CELULAR AS NOTÍCIAS MAIS IMPORTANTES DO DIA

Telegram: AQUI
Whatsapp: AQUI

SE VOCÊ APOIA O IMPEAHCMENT DE JAIR BOLSONARO, ENTRE NESSES GRUPOS:

Facebook: AQUI
WhatsApp: AQUI
Telegram: AQUI
Instagram: AQUI

Luis Miranda: “Se Pazuello falasse o que me falou dentro de uma aeronave..”

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) se manifestou nas redes sociais após a notícia de que a ex-mulher do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, procurou a CPI da Covid para se oferecer como possível depoente.

Leia a matéria completa aqui.

Conversa com Bolsonaro foi gravada, sugere Miranda: ‘Vai ficar ruim’

Matéria do Estadão assinada pela jornalista Camila Turtelli informa que após depor por 7 horas e meia na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) diz ter cumprido sua missão e estar tranquilo sobre a possibilidade de ser acusado de mentiroso pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Servidor do Ministério da Saúde depõe na CPI: “Meu partido é o SUS”

Ciro Gomes exige impeachment de Bolsonaro: ‘Vamos assistir de braços cruzados?’

O pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT) foi às redes sociais na noite desta sexta-feira (26) e na manhã deste sábado (27) exigir em texto e vídeo que um processo de impeachment contra Jair Bolsonaro seja aceito na Câmara dos Deputados.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Ciro Gomes ‘explode’ em pesquisa e chega a mais de 15%, diz Exame/Ideia

Impeachment de Bolsonaro: Centrão prepara desembarque, diz site

Nota de O Antagonista traz a ‘bomba’: “Em privado, chefões do Centrão já admitem a possibilidade de abandonar em breve o barco do governo”.

Leia a matéria completa aqui.

Indígenas recusam vacina após ação de pastores: “Marca da Besta”

Matéria do UOL assinada pelo jornalista Wanderley Preite Sobrinho informa que missionários evangélicos têm espalhado mentiras sobre a vacina contra a covid-19 em aldeias na região Norte do Brasil, segundo requerimento entregue à CPI da Covid.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Daniel Silveira é preso de novo após tirar tornozeleira 30 vezes

Compartilhe

Written by:

1.708 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.