Ciro Gomes lembra que Brizola defendia voto impresso: “Nosso líder imortal”

Brizola defendia voto impresso – O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) publicou um texto em suas redes sociais defendendo a posição de Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, em defesa do voto impresso auditável e lembrando que Leonel Brizola defendia voto impresso: “Nosso líder imortal”.

Leia o texto na íntegra:

“Para ficar bem claro: o que Lupi defendeu, teoricamente, em uma entrevista, não foi a substituição do voto eletrônico por voto em papel. Mas o aperfeiçoamento da urna eletrônica, tornando-a capaz de gerar um canhoto impresso.

Ou seja: as pessoas votariam em uma urna eletrônica semelhante à atual e seu voto também seria computado eletronicamente. Só que cada urna geraria e armazenaria um comprovante que seria retido por ela, de forma secreta e indevassável.

Qual o problema em tornar um sistema, que já é bom, em um sistema melhor? Qual o problema de termos uma cópia de segurança impressa, palpável e acima de qualquer suspeita, para eventual checagem?

Por que esta espécie de rendição, de covardia e fatalismo absurdo que fazem considerar Bolsonaro “dono” de qualquer ideia da qual sua turma se apropria?

É este tipo de pensamento derrotista que está fazendo Bolsonaro, entre outras coisas, se apropriar de símbolos pátrios – como nossa bandeira, nossas cores nacionais – e muitos aceitarem passivamente este sequestro.

Defender o voto eletrônico com cópia impressa, nos moldes propostos por Lupi, é ser contra Bolsonaro e não a seu favor. Se implantado, mataria, por antecipação, sua tentativa de sabotar os resultados do pleito de 2022.

Para concluir, basta lembrar que nosso líder imortal, Leonel Brizola, quase vítima do escândalo ProConsult, sempre defendeu a cópia de segurança em papel.”

Ciro Gomes

Entenda

Na proposta do PDT, o papel impresso não é levado para casa. O eleitor vota, o papel é impresso: ele confere atrás de um vidro de proteção e o papel automaticamente vai na urna.

Esse processo é realizado em todos os países que usam a urna eletrônica, exceto no Brasil.

Carlos Siqueira, presidente do PSB, defende voto impresso

O PSB defende que seja adotada a impressão dos votos junto às urnas eletrônicas. Segundo o presidente da sigla, Carlos Siqueira, trata-se de uma maneira a mais de auditar os resultados das eleições afastando cada vez mais hipóteses de fraudes. “Eu não consigo entender é o porquê de o voto não ser impresso”, disse ao Poder360.

Leia a matéria completa aqui.

Deputado bolsonarista pede extinção da UERJ em projeto no RJ

O deputado Anderson Moraes (PSL-RJ) anunciou nesta terça-feira (25) que protocolou na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) um Projeto de Lei onde realiza um pedido para extinguir a Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Leia a matéria completa aqui.

Brizola era a favor das urnas eletrônicas?

Leonel Brizola comparava as urnas eletrônicas brasileiras com a argola que se põe no nariz do touro para puxá-lo por uma corda, docilmente, para onde o seu dono quiser. Brizola usou essa imagem rural, como gostava de fazer na política, no programa do PDT que foi ao ar em cadeia nacional de rádio e televisão no dia 28 de junho de 2001, quase totalmente dedicado à fragilidade do voto eletrônico. Nessa ocasião ele alertou, profeticamente, que os chamados ‘negócios da China’ tinham se tornado “negócios do Brasil”, por conta das privatizações neoliberais iniciadas no governo Collor, aceleradas por Fernando Henrique, retomadas por Michel Temer e reaceleradas pela dupla Paulo Guedes/ Bolsonaro.

Leia a matéria completa aqui.

Facebook Comments Box
Compartilhe

Written by:

1.389 Posts

View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *