Saiba quem é Castillo, que enfrentou fascismo de Fujimori e venceu

Castillo vence fascismo de Fujimori – Com um passado político recente turbulento, o Peru teve quatro presidentes em cinco anos – dois deles acabaram presos. Um outro ex-presidente, Alan Garcia, cometeu suicídio em 2019. Quando a corrida eleitoral peruana de 2021 começou, poucos apostavam no sindicalista Pedro Castillo, do Partido Peru Libre, como um dos candidatos presentes no segundo turno.

Mas a forte polarização entre esquerda e direita e uma eleição fragmentada (18 candidatos e nenhum obteve mais de 20% na primeira volta), colocaram Castillo no segundo turno contra Keiko Fujimori, herdeira do ditador Alberto e representante das elites peruanas.

Keiko é uma velha conhecida dos peruanos – o pleito de 2021 é o terceiro disputado pela direitista neoliberal. Foi ao segundo turno as três vezes e perdeu todas por margem ínfima. Em 2020, ela chegou a ser detida sob acusação de ter recebido US$ 1,2 milhão da Odebrecht no Peru.

Defensora do atual regime de royalties das mineradoras – a economia peruana é baseada nesse extrativismo – Keiko é contra a nacionalização dos recursos naturais defendida pelo rival Castillo. Keiko e o escritor Mário Vargas Llosa, gênio literário mas sabujo entreguista, chamavam Castillo de comunista por conta dessa proposta.

LEIA: STF retira sigilo de inquérito que investiga bolsonaristas
LEIA: PF aponta que Michelle Bolsonaro acessou perfis fakes e golpistas

LEIA: Thiago Manga: “A Copa América foi o último suspiro de Bolsonaro”

O espantalho “vermelho” foi um dos temas da campanha suja feita pela direita peruana contra o sindicalista. A campanha quase deu resultado – se nas primeiras sondagens de segundo turno, Castillo tinha quase 20 pontos percentuais de frente, a apuração do pleito virou um thriller digno de Hollywood.

Pedro Castillo pode ser mais do que uma vitória da esquerda no continente – embalada pelas vitórias de Fernandez na Argentina, Arce na Bolívia e a derrubada do governo direitista paraguaio. O sindicalista representa um reencontro do Peru com suas origens andinas e indígenas.

Ainda criança, o pequeno Pedro levantava às 5 da manhã para ajudar a mãe a fazer fogo e preparar o almoço no vilarejo de Puña, na província de Chota. Para chegar à escola, caminhava por duas horas em encostas de montanhas. Era tido como louco por mover as mãos enquanto andava – ele dizia que estava escrevendo as tarefas “no ar” e assim saberia a lição quando chegasse ao colégio.

Mania de menino que virou profissão, além de sindicalista, Castillo é professor primário e costuma encerrar seus discursos com uma frase que virou mote de campanha: palabra de maestro (palavra de professor). O símbolo eleitoral do candidato indígena era um lápis gigante.

ASSISTA: Vídeo: Ciro Gomes chama Bolsonaro de “a própria traição encarnada”
LEIA: Datena na TV: fonte garante que ‘Copa América não será mais no Brasil’
LEIA: Presidente da CBF diz a Bolsonaro que troca Tite por Renato Gaúcho na terça

Castillo é uma dessas contradições só possíveis na América Latina. Defende a nacionalização dos recursos naturais, ao estilo de Chávez e Morales – o ex-presidente boliviano foi o maior entusiasta de sua campanha. Mas tem posições sociais conservadoras: é contra o aborto, critica a “ideologia de gênero” e vê com relutância o reconhecimento de direitos de minorias sexuais.

Também causou polêmica ao dizer que fecharia a Suprema Corte peruana e o Congresso. Voltou atrás ao dizer que só faria isso “com apoio do povo”. Mas conquistou o eleitorado ao dizer que usaria o dinheiro dos recursos naturais para impulsionar melhor saúde, educação e segurança pública.

LEIA: Bolsonaro quer Crivella como embaixador na África do Sul, diz site

Os desafios de Castillo são imensos. O país andino é um dos mais afetados no mundo pela pandemia do coronavírus. Com a crise sanitária, a economia perdeu 13% só em 2020. Num momento difícil, o povo vê crescer a arrecadação de royalties mas não percebe isso em melhorias para a população em geral.

Num continente onde a política tradicional está desacreditada, com inúmeros golpes, impeachments e propostas de “novidade”, Castillo mostrou que um candidato popular pode conseguir apoio da esquerda urbana e progressista contra o neoliberalismo de Fujimoris, Pinochets e Bolsonaros.

Fonte: DCM

Capitães das seleções da Copa América recusam reunião com Bolsonaro, diz site

Os capitães das dez seleções que vão jogar a Copa América foram sondados para participar de uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e representantes da Conmebol, mas recusaram o convite.

Leia a matéria completa aqui.

Vídeo: Capitão da Seleção diz que atletas ‘estão juntos’ contra Copa América

Casemiro endossou as palavras do técnico Tite e, como capitão, deixou bastante claro que o grupo da seleção brasileira está unido contra a disputa da Copa América em solo nacional. O anúncio da recusa será após o jogo contra o Paraguai, na terça-feira, em Assunção. O jogador não falou abertamente por respeito com o combinado entre eles, para não tirar o foco nas Eliminatórias. Mas a indignação no elenco é grande.

Assista o vídeo e leia a matéria completa aqui.

Presidente da CBF é afastado do cargo, diz site

Comissão de Ética da CBF determinou neste domingo o afastamento do presidente da entidade, Rogério Caboclo.

Leia a matéria completa aqui.

Intubado no RJ, pastor R.R. Soares ensinava oração para ‘expulsar’ covid

R. R. Soares, pastor fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, foi intubado neste sábado (5) devido a complicações no quadro de Covid-19, segundo informações do site Metrópoles. Ele está internado desde sexta-feira (4) no Hospital CopaStar, em Copacabana, no Rio.

Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Facebook Comments Box
Compartilhe

Written by:

1.410 Posts

View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *