Bolsonaro ameaça aguardar ‘sinalização do povo’ para ‘tomar providências’

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (14) que aguarda “uma sinalização do povo” para “tomar providências” a respeito das consequências econômicas causadas pela pandemia de covid-19, entre elas o aumento da fome e da miséria. Ao comentar a atuação do Supremo Tribunal Federal, Bolsonaro disse que não quer brigar com ninguém, mas, segundo ele, “estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil”.

“O Brasil está no limite. O pessoal fala que eu devo tomar providências. Eu estou aguardando o povo dar uma sinalização. Porque a fome, a miséria e o desemprego estão aí. Não vê quem não quer”, disse o presidente, nesta manhã, durante encontro com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro vai fazer “o que o povo quiser”

Na conversa, Bolsonaro mencionou ainda que “alguns” pedem providências imediatas e reforçou que fará “o que o povo quiser” que ele faça. Ele não deixou claro quais seriam essas providências imediatas.

“Amigos do Supremo Tribunal Federal, daqui a pouco vamos ter uma crise enorme aqui. Vi que um ministro despachou um processo pra me julgar por genocídio. Olha, quem fechou tudo e está com a política na mão não sou eu. Agora, não quero brigar com ninguém, mas estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil”, completou o presidente. Segundo Bolsonaro, ainda “há tempo de mudar”: “É só parar, usar menos a caneta e mais o coração”.

Ontem (13), a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu ao presidente da Corte, Luiz Fux, para que paute o julgamento da notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por suspeita de genocídio contra as populações indígenas durante a pandemia do novo coronavírus.

Na semana passada, o ministro Luís Roberto Barroso determinou ao Senado instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do governo federal na pandemia.Ontem, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) leu o requerimento de abertura da CPI, que também irá investigar o uso das verbas federais repassadas a Estados e municípios para combater o novo coronavírus.

Fonte: Estadão

Tabata Amaral vota a pela reabertura de escolas na pandemia; Frota vota contra

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) votou pela reabertura de escolas durante a pandemia do coronavírus nesta terça-feira (13), na Câmara dos Deputados. Alexandre Frota votou contra o texto do Projeto de Lei Nº 5595/2020, de autoria da deputada Paula Belmonte (Cidadania/DF), que passa a considerar a educação como “atividade essencial” e assim autoriza o retorno das atividades escolares em caráter presencial. A proposta foi aprovada. Leia a matéria completa aqui.

Paulo Guedes vira alvo dentro do governo Bolsonaro

Paulo Guedes está mais solitário do que nunca e virou alvo dentro do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O grupo dos que lhe fazem oposição e críticas acerbas, que há meses atrás tinham apenas Onyx Lorenzoni e Rogério Marinho na linha de frente, não para de crescer. Leia a matéria completa aqui.

Bolsonaro se irrita no ‘cercadinho’ e abandona conversa com apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar nesta terça-feira (13) contra as medidas de isolamento social adotadas para frear a pandemia de covid-19 e, para uma claque agitada, o chefe do Executivo se queixou de críticas direcionadas ao seu governo. Bolsonaro chegou a abandonar a conversa com os simpatizantes no ‘cercadinho’ após ter sido interrompido mais de uma vez. Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.690 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.