Aniversário da morte de Brizola: “Ciro é a continuidade dos sonhos de Leonel”

Aniversário da morte de Brizola – Os 17 anos de falecimento do presidente de honra e fundador do PDT, Leonel Brizola, foram lembrados pelo atual presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, com um paralelo da busca trabalhista pelo progresso do Brasil. “Ciro Gomes é a continuidade dos sonhos de Leonel Brizola”, garantiu, em um vídeo publicado, nesta segunda-feira (21), nas redes sociais.

“Esse Brasil não é o Brasil que o Brizola sonharia ver. E eu tenho certeza que Ciro Gomes representará essas ideias de transformação, de tocar nesse câncer, que é a acumulação de riqueza, e cobrar impostos dos ricos, da propriedade, dos grandes grupos”, afirmou, ao referendar a pré-candidatura do ex-governador do Ceará ao Palácio do Planalto.

ASSISTA: Vídeo: Bolsonaro tira máscara e ofende jornalista: “Cala a boca!”
LEIA: Desaprovação de Bolsonaro bate recorde e supera 50%, diz pesquisa
LEIA: General Santos Cruz: Polarização Bolsonaro x Lula não interessa ao país
LEIA: Ciro no Flow: ‘Bolsonaro é assassino e será julgado no Tribunal de Haia’
LEIA: Metade dos jovens quer deixar Brasil por falta de perspectivas

“Nos ilumine, Brizola. Ilumine Ciro Gomes e o PDT a fazerem com que esse país se transforme como você sempre sonhou: uma nação livre, autônoma, independente e capaz de distribuir renda e oportunidades a todos os seus filhos. Que essa pátria, amada por Leonel Brizola, seja um dia do povo brasileiro”, completou.

Com exaltação à representatividade construída pelo gaúcho de Carazinho (RS) ao longo de 82 de vida, Lupi fez questão de ratificar toda a simbologia do trabalhista vinculada aos princípios pedetistas, como a defesa do trabalhador, do direito dos aposentados e pensionistas e do papel do Estado eficiente.

LEIA: Boulos se irrita com pressão do PT: ‘postura de quem não quer unidade’
LEIA: Equipe eleitoral de Bolsonaro alerta para avanço de Ciro Gomes: “Lula ajuda”
LEIA: Centrais sindicais fazem ‘esquenta’ na véspera de protestos contra Bolsonaro
LEIA: BNDES financiou R$ 280 milhões a empresas que produzem cloroquina
LEIA: 19J: Manifesto da JS-SP pede povo unido por vacina, trabalho e fora Bolsonaro
LEIA: Witzel diz que Flávio Bolsonaro é ‘dono’ de hospitais federais do RJ

“Referência do trabalhismo Um brasileiro que pagou altos preços por ser coerente, por defender a pátria e a democracia. Foram 15 anos de exílio, uma vida toda investigada e invadida na sua privacidade. Único governador de dois estados diferentes do Brasil, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro”, destacou.

Pontuando fatos históricos, Lupi citou ainda o movimento da “Cadeia da Legalidade” desde Porto Alegre (RS), em 1961, que evitou o golpe militar e efetivou a posse do então vice-presidente, João Goulart, bem como as mais de 6 mil escolas criadas nas três passagens pelo executivo estadual.

LEIA: Líder de caminhoneiros ameaça greve: “Estamos no limite”
LEIA: Diversos partidos se reúnem e anunciam: ‘nem Lula, nem Bolsonaro’
LEIA: Flávio Dino: ‘Não excluo Ciro Gomes e PDT de qualquer debate’
LEIA: Luciano Huck desiste da presidência em 22 e terá domingo na Globo

“Marcou a sua vida pelo compromisso com a pátria brasileira, com a lealdade e amor profundo ao povo brasileiro. Perdemos Brizola, mas as ideias não vão com a morte física. As ideias ficam no coração e na memória da gente, na vontade de acertar os caminhos da nação brasileira”, disse.

Confira a íntegra do vídeo aqui.

Governo quer flexibilizar validade de alimentos no Brasil

Em um aceno ao setor de supermercados, o governo vai criar um grupo de trabalho para avaliar proposta de flexibilização da regra que trata da validade de alimentos no Brasil. A sugestão é adotar modelo que permita vendas de baixo custo e doações a partir de determinado prazo.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Wilson Witzel diz que é perseguido por investigar morte de Marielle
LEIA: Witzel diz que revelará ‘fato gravíssimo’ contra Bolsonaro em reunião sigilosa

Witzel: Milícia atua na máfia da saúde no RJ; ‘Corro risco de vida’

Em depoimento à CPI da Covid nesta quarta-feira (16) no Senado, o ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, afirmou que ele e sua família correm risco de vida e que seu impeachment foi financiado por uma máfia na área de saúde.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Casal acusa jovem negro de roubo, é denunciado por racismo e demitido

Sociólogo diz que desistência de Huck ‘beneficia centro-esquerda’

Em entrevista publicada no Estadão e assinada pelo jornalista Pedro Venceslau, o especialista em pesquisas eleitorais, sociólogo Antonio Lavareda, presidente do conselho do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), disse que os partidos que buscam uma “terceira via” nas eleições presidenciais de 2022, como alternativa à polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), precisam encontrar um nome que atinja os dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto até o início do ano que vem.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Kalil não descarta ser vice de Ciro Gomes: “É um ótimo nome”

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.690 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.