VÍDEO: Xuxa defende usar presidiários como cobaias e se desculpa

Xuxa defendeu que produtos como cosméticos e remédios sejam testados em presidiários ao invés de animais. Após a declaração, feita em uma live no Instagram da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) sobre direitos dos animais, a ex-apresentadora de TV recebeu uma enxurrada de críticas, virando um dos temas mais comentados do Twitter.

“Eu tenho um pensamento que pode parecer muito ruim para as pessoas, desumano… Na minha opinião, existem muitas pessoas que fizeram muitas, muitas coisas erradas e estão aí pagando pelos seus erros num ad eternum, para sempre em prisões. Poderiam ajudar nesses casos”, disse na ocasião, acrescentando: “Pelo menos serviriam para alguma coisa antes de morrer, para ajudar a salvar vidas”.

Aí vai vir um pessoal dos Direitos Humanos e dizer que ‘não, eles não podem ser usados’. Mas acho que se são pessoas que está provado que irão passar sessenta anos na cadeia, cinquenta anos na cadeia e que irão morrer lá, acho que poderiam usar ao menos um pouco da vidas delas para ajudar outras pessoas. Provando remédios, vacinas, provando tudo nessas pessoas.

E concluiu: “Essa é a minha opinião: já que vai morrer na cadeia, que pelo menos sirvam para ajudar em alguma coisa”.

Nas redes sociais, os internautas não aprovaram a fala da mãe de Sasha Meneghel. “Xuxa, além de um ser humano desprezível, é uma pessoa de 50 e poucos anos muito burra e ignorante!”, escreveu Joel Luiz.

“Se tornou vegana ontem e quer sentar na janelinha se achando a porta-voz! Não adianta ser vegana e ser eugenista!”, comentou uma mulher.

Pedido de desculpas

Na madrugada, Xuxa pediu desculpas sobre o que disse à respeito do uso de presidiários como cobaias humanas. “Eu estou aqui pedindo desculpas para todos vocês. Eu, que não usei as palavras corretas. Pensei uma coisa, pensei em muitas coisas?. Quis falar sobre muitos assuntos, e não fugir do assunto principal, que era dos animais, dos maus-tratos e de pessoas que fazem muitas coisas maltratando vidas. E também julguei, também maltratei”, afirmou.

Acusada de racismo por alguns internautas, que argumentam que a maioria da população carcerária é composta por pessoas negras, Xuxa afirmou não ter pensado sobre a desigualdade racial. “Algumas pessoas usaram a expressão, que eu fui falando sobre raças, sobre negros, sobre presidiários negros e pobres. Mas não me passou nada disso pela cabeça. O que me passou foi uma pessoa que estupra uma criança, que fica anos em um presídio e poderia pensar em ajudar as pessoas de outras maneiras. É errado? É errado. Me expressei mal?, me expressei mal”, completou

Ela também encerrou o vídeo reconhecendo que o Brasil possui sistemas judiciário e carcerário falhos e que ela não deve julgar as pessoas que cumprem suas penas.

Ainda durante a live, Xuxa também se disse contra o aprisionamento de pássaros em gaiolas: “Eu sou da seguinte opinião: ninguém tem o direito de prender ninguém. É muito desumano isso”.

A apresentadora afirmou que usou produtos testados em animais por muito tempo, mas desde que virou vegana busca alternativas. Ela fez uma ressalva para o caso das vacinas, polêmico entre os veganos: “Posso não ser a favor, mas ao mesmo tempo eu entendo que é uma necessidade de vida ou morte, mesmo”.

Alternativas aos testes em animais 

O teste de remédios e cosméticos em seres humanos é polêmico, e no passado já houve casos de defesa do uso de presidiários como cobaias humanas, como sugerido por Xuxa.

A boa notícia é que existem alternativas que não entram em choque com os direitos humanos: cientistas já conseguem recriar pele humana em laboratório e diversas marcas já priorizam a produção sem crueldade animal.

Fonte: UOL

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.631 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.