UFRJ pode fechar as portas no 2º semestre por falta de verbas

UFRJ pode fechar as portas – A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) pode fechar as portas por falta de verba. Essa declaração é da reitora da instituição, Denise Pires de Carvalho, que em um artigo publicado no jornal O Globo, explicou que os cortes nos orçamentos da UFRJ podem inviabilizar o pagamento de diversos serviços da Universidade.

Ela destacou ainda que, entre os serviços afetados, estão também as pesquisas de duas vacinas nacionais contra a Covid-19 que ocorrem em laboratórios da UFRJ e se encontram em testes pré-clínicos.

“A UFRJ fechará suas portas por incapacidade de pagamento de contas de segurança, limpeza, eletricidade e água. O governo optou pelos cortes, e não pela preservação dessas instituições. A Universidade nem sequer pode expandir a arrecadação de recursos próprios, pois não estará garantida a autorização para o gasto. A Universidade está sendo inviabilizada”, diz o artigo.

O texto destaca que desde 2013 o orçamento das universidades vem sendo cortado. O orçamento discricionário aprovado pela Lei Orçamentária para a UFRJ em 2021 é 38% do empenhado em 2012. Quando se soma o bloqueio de 18,4% do orçamento aprovado, como anunciado pelo governo, seu funcionamento ficará inviabilizado a partir de julho.

Em nota, o Ministério da Economia reconhece que houve redução dos recursos discricionários da pasta para 2021, em relação à Lei Orçamentária Anual das universidades federais. No comunicado, o MEC afirmou também vem promovendo ações junto ao Ministério da Economia para que as dotações sejam desbloqueadas e o orçamento seja disponibilizado em sua totalidade.

Fonte: Diário do Rio

PSOL racha para 2022 e Boulos rivaliza com Erundina e Sâmia

O PSOL rachou internamente em relação à decisão da sigla para as eleições presidenciais de 2022, colocando Guilherme Boulos em lado oposto ao de Luiza Erundina e Sâmia Bonfim.

Leia a matéria completa aqui.

Ciro, Lula e Mandetta venceriam Bolsonaro em 2022, diz pesquisa; Haddad não

Pesquisa Atlas publicada nesta segunda-feira (10) mostra que se a eleição fosse hoje, Jair Bolsonaro (sem partido) seria derrotado em um eventual segundo turno por Ciro Gomes (PDT), Henrique Mandetta (DEM) e Lula (PT), enquanto Fernando Haddad (PT) seria derrotado novamente, como ocorreu nas eleições de 2018.

Leia a matéria completa aqui.

Vacina cearense contra Covid tem baixo custo e está pronta para a 2ª fase

Uma vacina cearense contra Covid-19, que tem baixo custo de produção, está pronta para a 2ª fase de testes, agora em humanos.

Leia a matéria completa aqui.

Ernesto Araújo mobilizou Itamaraty para garantir cloroquina, diz jornal

O ex-chanceler Ernesto Araújo mobilizou o aparato diplomático do Brasil para garantir fornecimento de cloroquina ao país, mesmo após a Organização Mundial da Saúde ter interrompido testes clínicos com a droga e depois de associações médicas terem alertado para a ineficácia e o risco de efeitos colaterais.

Leia a matéria completa aqui.

Em vídeo, Ciro lamenta polarização entre PT e Bolsonaro: “Um país dividido pelo ódio”

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) publicou um vídeo na manhã desta segunda-feira (10) em que lamenta o clima de ódio político que tomou conta do país com a polarização entre PT e Bolsonaro. “Um país dividido pelo ódio”, lamenta Ciro.

Leia a matéria completa aqui.

De volta à política, Eduardo Cunha quer recompor MDB e reeleger Bolsonaro

Liberado da prisão domiciliar e de volta ao Twitter, Eduardo Cunha esfrega as mãos para recuperar seu poder político, recompor o MDB na Câmara dos Deputados e reeleger Jair Bolsonaro nas eleições do ano que vem.

Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.631 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.