Rodrigo Neves: A Pandemia e o futuro da Democracia

Pandemia e Democracia – A pandemia da covid-19 é o marco inaugural do século XXI, e ainda sentiremos nos próximos meses suas consequências provavelmente com muitos milhares de infectados graves e óbitos de conhecidos pela doença. Pelos próximos anos e décadas sofreremos seus efeitos econômicos, sociais, urbanos e até geopolíticos.

A democracia, já debilitada pela erosão constante das normas político-jurídicas, pelo ataque sistemático dos autoritários às instituições fundamentais e pelas desigualdades sociais agravadas, corre sérios riscos nesse período histórico que se inicia de prováveis pandemias intermitentes.

Evidentemente que a resposta e superação dessas crises simultâneas não serão feitas por aqueles que negaram a gravidade do problema, desprezaram a Ciência e a vida, provocaram mais mortes ignorando as medidas de prevenção recomendadas pelos órgãos técnicos da Saúde, propagaram criminosamente fake news de tratamento precoce e foram incapazes de proteger cidadãos e a Economia.

A atual pandemia é um fenômeno social total, muito mais do que uma grave crise sanitária, e precisa ser enfrentada em todas suas dimensões e integrando vários conhecimentos científicos como a epidemiologia, a Economia e a Sociologia, a partir de um pressuposto ético-politico fundamental: a defesa da vida e o convívio democrático.

Nesse momento Portugal e o Reino Unido controlam a terceira onda das novas variantes do coronavírus após mais de dois meses de lockdown e retomam atividades econômicas com programas de forte apoio às famílias e empresas, baixo contágio e óbitos.

O Brasil, por outro lado, é um dos principais epicentros do problema no mundo, cada vez mais isolado, média de mais de 3 mil mortos por dia, seguindo ao cadafalso de uma devastação humanitária e econômica como resultados do negacionismo e incompetência.

O professor e sociólogo português Boaventura de Sousa Santos em seu recente livro “O futuro começa agora”, um dos estudos mais completos sobre o fenômeno pandêmico, ressalta que “muitos dos nossos sonhos foram reduzidos ao que existe e o que existe é muitas vezes um pesadelo, e ser utópico hoje é a maneira mais consistente de ser realista”.

É ainda possível reduzir a dimensão da tragédia no Rio e no Brasil e evitar uma terceira onda de variantes no próximo inverno fazendo o que no mundo estão buscando fazer: distanciamento físico-sanitário, atenção a higiene, uso de máscaras, vacinação, apoio às famílias e empresas, com coordenação federativa.

Mas é necessário mais do que isso para reconstrução após essa catástrofe humanitária e econômica: através da inteligência humana e da força das Instituições democráticas e do povo, projetar novas possibilidades de vida coletiva e individual através de um desenvolvimento mais equilibrado, socialmente justo e ecologicamente sustentável.

Por Rodrigo Neves, sociólogo e ex-prefeito de Niterói pelo PDT

Fonte: O Dia

Este texto é opinativo e não reflete, necessariamente, a opinião do site Brasil Independente.

Tasso Jereissati vê Ciro Gomes candidato e buscará união do centro em 2022

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) considera que o aliado e amigo de longa data Ciro Gomes (PDT) será candidato a presidente. E disse que buscará unidade entre as candidaturas de centro, inclusive com Ciro. A declaração ocorreu em conversa virtual no grupo chamado “Derrubando Muros”, na sexta-feira. 30.

Leia a matéria completa aqui.

Em liberdade, Fabrício Queiroz vai a manifestações bolsonaristas

Desde que teve a prisão revogada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em março deste ano, Fabrício Queiroz voltou a circular pelo Rio de Janeiro. No último fim de semana, o ex-assessor denunciado como operador do esquema de “rachadinha” no gabinete do senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) frequentou até a manifestação bolsonarista do 1º de maio.

Leia a matéria completa aqui.

Lula está ‘apavorado’ com aliança de Ciro com João Santana, diz site

De acordo com o site O Antagonista, pessoas próximas ao ex-presidente Lula (PT) dizem que ele está “apavorado” com a aliança de João Santana com Ciro Gomes.

Leia a matéria completa aqui.

Um dia após se licenciar da prefeitura de SP, Bruno Covas é internado em UTI

Prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) foi transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no hospital Sírio-Libanês, no Centro da capital paulista, devido à descoberta de um sangramento no estômago nesta segunda-feira (3). O político luta contra um câncer desde 2019.

Leia a matéria completa aqui.

Em novo filmete, Ciro diz que Lula “deu pouco aos pobres e muito aos ricos”

Em mais um filmete da nova campanha, em que ex-ministro Ciro Gomes lista problemas do passado e do presente do Brasil a aponta propostas para o futuro, Ciro disse que o governo Lula “deu pouco aos pobres e muito aos ricos”. “Eu gostaria que você tivesse paciência de escutar coisas que não está acostumado. Uma delas: o governo Lula deu pouco aos pobres e muito aos ricos”, escreveu o ex-governador na legenda da postagem.

Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.690 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.