Insegurança alimentar dispara no Brasil e atinge 50 milhões, diz estudo

Insegurança alimentar dispara no Brasil – Coluna de Jamil Chade no UOL informa que o principal levantamento internacional sobre a fome no mundo revela que a crise alimentar voltou a abalar de forma significativa o Brasil nos últimos dois anos.

Dados publicados nesta segunda-feira revelam que, entre 2018 e 2020, a prevalência de insegurança alimentar grave atingiu 7,5 milhões de brasileiros. No período entre 2014 e 2016, esse número era de 3,9 milhões de brasileiros.

Se a conta incluir a prevalência de insegurança alimentar moderada ou grave, já são 49,6 milhões de brasileiros impactados. Em 2014, eram 37,5 milhões de pessoas.

Segundo o informe, houve um agravamento dramático da fome no mundo em 2020, provavelmente relacionado com as consequências da pandemia.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Covaxin: PF abre inquérito para investigar Bolsonaro por prevaricação
LEIA: Além de ‘vexame’, Copa América deixou nova variante da covid no Brasil
ASSISTA: Bolsonarista é expulso de igreja após discurso de ódio
LEIA: PT não aceita autocrítica sobre corrupção de fundador do partido

De acordo com a FAO, insegurança alimentar se refere ao acesso limitado de uma pessoa ou de uma residência à comida, seja por falta de dinheiro ou outros recursos.

As entidades estimam que uma pessoa que passe um dia inteiro sem acesso à comida deve ser classificada como fazendo parte do grupo que vive uma “insegurança alimentar grave”.

Não se trata, porém, da classificação de fome aguda, índice que é usado quando o acesso aos alimentos é dificultado de maneira crônica.

Em 2014, 12,1 milhões de brasileiros estavam subnutridos. Para 2020, o Brasil foi o único país da América do Sul a não fornecer números oficiais para as entidades.

Para as entidades, a pandemia está intimamente relacionada com a alta. A América Latina, inclusive, foi a região do mundo que viu o maior salto em pessoas vivendo em “insegurança alimentar”. No mundo, a taxa aumentou de 22% para 26% entre 2014 e 2019. Mas, em 2020, o salto foi ainda maior, chegando a 30’%.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Prefeito de Recife, João Campos defende que PSB apoie 3ª via
LEIA: Sarney encontra Bolsonaro e liderança do PT no mesmo dia, diz site
LEIA: Pela 1ª vez, maioria dos brasileiros quer impeachment de Bolsonaro
LEIA: Ciro detona Bolsonaro após ataque ao TSE: “Últimas braçadas de um afogado”

Hoje, um décimo da população mundial – até 811 milhões de pessoas – está subnutrido. O número sugere que será necessário um tremendo esforço para que o mundo honre sua promessa de acabar com a fome até 2030.

O relatório é publicado conjuntamente pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (IFAD), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Programa Mundial de Alimentação (PMA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

As edições anteriores já haviam colocado em evidência que a segurança alimentar de milhões estava em jogo. “Infelizmente, a pandemia continua a expor fraquezas em nossos sistemas alimentares, que ameaçam a vida e a subsistência de pessoas ao redor do mundo”, escrevem os chefes das cinco agências da ONU.

Eles continuam alertando para um “momento crítico”, mesmo quando depositam novas esperanças no aumento da dinâmica diplomática. “Este ano oferece uma oportunidade única para avançar na segurança alimentar e nutrição através da transformação dos sistemas alimentares com a próxima Cúpula das Nações Unidas sobre Sistemas Alimentares, a Cúpula sobre Nutrição para o Crescimento e a COP26 sobre mudanças climáticas”.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Antonio Neto e Amanda Salgado: Um resgate para passar o Brasil a limpo
LEIA: Atacado por militares, Omar Aziz agradece apoio de Ciro Gomes
LEIA: Bolsonaro se enrola sobre reunião com Luis Miranda: “Fantasiosa”
LEIA: Bolsonaro passa mal, tem soluço e dificuldade para falar em visita ao Sul

Bolsonaro despenca nas pesquisas e 51% dos brasileiros acha governo ‘péssimo’

O povo brasileiro não tem a melhor impressão de seu presidente. Ao contrário: para a maioria da população, Jair Bolsonaro é desonesto, falso, incompetente, despreparado, indeciso, autoritário, favorece os ricos e mostra pouca inteligência.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: 6 de cada 10 brasileiros rejeitam Bolsonaro para 2022, diz Datafolha

Entidades de advogados e magistrados repudiam ‘ameaça’ de militares

Associações de juristas, advogados, magistrados e também a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) divulgaram uma nota conjunta em que repudiam os ataques ao Parlamento brasileiro por parte do Ministério da Defesa.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Ciro Gomes se consolida na 3ª via e quase dobra intenções de voto, diz pesquisa

Viúva de suposto assassino de Marielle fecha delação com MP

Segundo jornalista Guilherme Amado em Metrópoles, a viúva do capitão Adriano da Nóbrega, miliciano que era ligado a Flávio Bolsonaro e que foi assassinado na Bahia no ano passado, está perto de homologar uma delação premiada com o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro e o Ministério Público do estado.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Reinaldo Azevedo dispara: “Nota dos militares é mentirosa e golpista”

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.631 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.