Freixo e Orlando Silva querem ouvir general Heleno e chefe da ABIN na Câmara

Os deputados federais Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e Orlando Silva (PCdoB-SP) pediram nesta sexta-feira (09), na Câmara, a convocação do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, e o chefe da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, para que possam prestar esclarecimentos na Comissão Mista de de Controle das Atividades de Inteligência do Congresso Nacional.

A intenção dos parlamentares é tratar das denúncias sobre o suposto uso da Abin no auxílio da equipe de advogados que defende o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) no caso das ‘rachadinhas’.

Em dois relatórios produzidos pela Abin detalhou-se o funcionamento da suposta organização criminosa que atua na Receita Federal e que teria acessado os dados fiscais do senador. A advogada de Flávio Bolsonaro, Luciana Pires, à época admitiu que os documentos foram enviado por Ramagem diretamente para o celular do senador.

Apesar disso, Ramagem anunciou que um servidor teria forjado documentos para vazar informações para prejudicar Flávio Bolsonaro. O diretor da agência ainda afirmou que denunciará criminalmente os jornalistas envolvidos na publicação do caso. Essa versão de Ramagem foi confirmada pelo Gabinete de Segurança Institucional no dia 7 de abril.

Além do pedido de convocação, os deputados enviaram um requerimento de informações ao GSI para que o órgão se pronuncie oficialmente.

“A Abin é um órgão de Estado e não pode ser usado por Bolsonaro para proteger a sua família. A advogada de Flávio admitiu que os documentos foram diretamente enviados a Flávio por Ramagem. Então tanto o direto da Abin quando general Heleno tem a obrigação de prestar esclarecimentos ao Congresso Nacional”, argumenta Freixo, líder do bloco da minoria na Câmara.

“Não vamos deixar que essa punição ao servidor, feita sem qualquer transparência, seja usada como desculpa para encerrar o caso”, finalizou.

Veja o pedido de Marcelo Freixo e Orlando Silva na íntegra aqui.

STF acata PSB e suspende trechos de decretos de Bolsonaro sobre armas

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), acaba de suspender trechos dos decretos de armas de Bolsonaro que começariam a valer a partir desta terça-feira (13). A ação é de autoria do PSB. Veja a matéria completa aqui.

Bolsonaro: “Se facada tivesse sido fatal, hoje você teria como presidente Haddad ou Ciro”

Jair Bolsonaro (sem partido) foi às redes sociais nesta segunda-feira (12) para pedir apoio ao seu governo e citou o episódio em que levou uma facada em Juiz de Fora (MG), durante a campanha presidencial de 2018. “Se a facada tivesse sido fatal, hoje você teria como presidente Haddad ou Ciro”. Leia a matéria completa aqui.

PDT entra com pedido de impeachment de Bolsonaro por ‘ameaça aos poderes’

Carlos Lupi e Ciro Gomes, presidente e vice do *PDT, respectivamente, protocolaram na tarde desta segunda-feira (12) um novo pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro. O requerimento acusa o presidente de ameaçar o livre exercício dos poderes diante das ações que sucederam a decisão do ministro do STF, Roberto Barroso, pela abertura da CPI da Covid para apurar possíveis omissões do governo federal. Veja a matéria completa aqui.

‘Se alguém fez teatro, foi Bolsonaro’, diz Jorge Kajuru

Pivô da mais recente crise envolvendo o governo federal, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) afirmou que não cometeu nenhum crime ao gravar e divulgar o conteúdo de um telefonema mantido com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Leia a matéria completa aqui.

Bolsonaro xinga e ameaça agredir senador em áudio com Kajuru

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) divulgou nesta segunda-feira (12) um novo trecho do áudio de uma conversa com o presidente Jair Bolsonaro sobre a CPI da Covid, em que Bolsonaro xinga o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e ameaça agredi-lo. Leia a matéria completa aqui.

Lula trabalha contra a CPI da Covid, diz revista

Dois dos principais interlocutores do ex-presidente Lula, o senador Jaques Wagner e o governador do Piauí, Wellington Dias, saíram a campo com a missão de “jogar água na fervura da CPI da Covid”, diz a revista Crusoé. Leia a matéria completa aqui.

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.690 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.