Em ‘defesa’ de Lula, PCO agride militantes do PDT em atos contra Bolsonaro

PCO agride militantes do PDT – Em ‘defesa’ do ex-presidente Lula (PT), militantes do Partido da Causa Operária (PCO) agrediram integrantes do Partido Democrático Trabalhista (PDT) durante os atos contra Jair Bolsonaro ocorridos pelo Brasil neste sábado (03). No Rio de Janeiro e em Florianópolis, mulheres pedetistas foram agredidas por grupos em maioria formados por homens, denotando um caráter misógino nos ataques.

A jovem militante do PDT-RJ, Mariana Cardim, desabafou nas redes sociais sobre as agressões sofridas.

OUTRAS NOTÍCIAS:

ASSISTA: Vídeo: Ciro Gomes fala sobre ser de ‘esquerda’ ou de ‘direita’
LEIA: Gravações apontam Bolsonaro envolvido em esquema de corrupção
LEIA: Manifestantes lotam Avenida Paulista em novo ato contra Bolsonaro
LEIA: Presidenta da Juventude Socialista de SP convoca para ato contra Bolsonaro

“A quadrilha do Rui Costa Pimenta tentou nos provocar durante todo o trajeto do ato, nos ultrapassando e travando nossa passagem para o trio elétrico vir pra cima de nós. A gota d’água foi quando nos chamaram de FASCISTAS e GOLPISTAS. Como boa discípula de Darcy Ribeiro, não me resignei e não permiti que violassem nossa honra dessa maneira. Então, vieram em bando para cima de mim empurrando e proferindo ofensas, só se calaram quando os homens do PDT se posicionaram ao meu lado. Além de COVARDES, são MACHISTAS e só crescem pra cima de mulher” – Mariana Cardim

Mariana ainda comentou que os ataques que o PDT vêm sofrendo partem tanto da extrema-esquerda quanto da extrema-direita. “Os lunáticos do PCO nos acusam de fascistas e direitistas. A direita nos chama de mensheviques. Não existe sinal melhor de que estamos no caminho certo”, escreveu.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Gleisi Hoffman ataca Ciro Gomes: ‘Pior’ que Bolsonaro e ‘jagunço’
LEIA: Damares teve ‘caso’ com homem casado, diz blogueiro bolsonarista
LEIA: ‘Véio da Havan’ é convocado para depor na CPI: “Quem não deve não teme”

Ataque homofóbico

Em São Paulo, jovens LGBTQ+ do PSDB Diversidade também foram agredidos por militantes ligados ao PCO, que queimaram bandeiras tucanas e entoaram cantos de apologia à violência.

O movimento Diversidade do PDT-SP emitiu uma nota de repúdio aos ataques sofridos pelos tucanos.

“Faço o registro em nome do PDT Diversidade SP, a nossa solidariedade aos militantes do Diversidade Tucana de São Paulo, que injustificavelmente sofreram agressões físicas e tiveram suas bandeiras rasgadas e queimadas por uma seita de esquerda já conhecida como homofóbica e sectária no ato #3J na. Av. Paulista! Abaixo toda forma de totalitarismo!”, diz a nota.

OUTRAS NOTÍCIAS:

LEIA: Luis Miranda diz que áudio é ‘falso’ e que vai pedir prisão de PM
LEIA: Chefe da CIA é visto em Brasília e tem reunião ‘secreta’ com Bolsonaro
LEIA: Senador pede prisão em flagrante de policial após áudio suspeito na CPI

Proximidade ‘suspeita’ com o PT

Postagens que foram feitas inclusive pela presidente do PT, Gleisi Hoffman, apontam para uma proximidade entre o PCO e o PT, ao mesmo tempo em que chama atenção o fato de que as agressões eram justificadas pelos agressores como sendo feitas ’em defesa da Lula’.

Compartilhe

Written by:

1.637 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.