Do PSB, governador do ES: ‘não podemos descartar conversa com Ciro’

Governador do ES – Nota assinada pela jornalista Marianna Holanda no Estadão informa que a filiação do governador Flávio Dino (MA) e do deputado Marcelo Freixo (RJ) no PSB foi considerada, nos bastidores do partido, como um passo importante para consolidar um apoio a Lula em 2022. Tanto Freixo quanto Dino são próximos ao petista. Mas o arranjo, apesar de significar apoio de grande parcela do PSB, não é consenso na legenda.

Um dos maiores defensores de uma terceira via, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, disse ao Estadão: “Não podemos descartar nossa conversa com o PDT, com o Ciro Gomes”.

LEIA: Miranda dispara contra Onyx: “Não me sinto coagido, vou botar ele na cadeia”
LEIA: Renan: Se Onyx intimidar testemunha, será preso; Luis Miranda rebate ministro
LEIA: Onyx ameaça deputado pivô do escândalo da Covaxin: ‘Vai se entender com a gente’
LEIA: Kalil se afasta de Lula: ‘Tava na TV em novembro pedindo voto contra mim’

“Gosto da ideia de achar um caminho de outra candidatura, em que o PSB possa ser protagonista desse processo, seja compondo chapa ou mesmo tendo uma candidatura. Mas como hoje não tem essa candidatura, estamos deixando para decidir ano que vem”, afirmou Casagrande.

Sobre a possibilidade de um alinhamento do PSB com Lula em 2022, o presidente do PDT, Carlos Lupi, disse que opções partidárias são individuais e pessoais, mas opções de candidaturas são partidárias e coletivas.

LEIA: Ricardo Salles pede demissão após virar alvo da PF
LEIA: Tico Santa Cruz: “Lula não é minha opção para o 1º turno de 2022”
LEIA: MP denuncia 35 PMs por motim no Ceará em que Cid Gomes foi baleado
LEIA: Carta-bomba de Palocci ao PT escrita em 2017: ‘Presenciei desmonte moral’ de Lula

“Temos a candidatura de Ciro Gomes, colocada desde a última eleição, não fazemos teatro de faz de conta. Cada partido tem sua estratégia e uma eleição de dois turnos é para isso. No segundo turno, os mais próximos de sua identidade ideológica se apoiam. Assim o faremos e esperamos que cada partido faça”, disse Lupi.

A amarração do PSB com o PT sempre passa também por Pernambuco, mas o PSB está confiante de que o partido de Lula deve apoiar o seu candidato, Geraldo Júlio, na empreitada.

LEIA: Site contabiliza ‘cagadas’ de Bolsonaro; conheça o ‘Cagômetro’
LEIA: CNN publica mensagens entre Luis Miranda e assessor do governo Bolsonaro
ASSISTA: Vídeo: Cristãos Trabalhistas rebate ataque de Silas Malafaia a Ciro Gomes
LEIA: Covaxin: Deputado diz que alertou Bolsonaro sobre ‘algo estranho’

Depois do evento das filiações, o governador Paulo Câmara (PSB-PE) se reuniu com o senador Humberto Costa (PT-PE), estão reatando o namoro.

Em 2020, o partido deixou o governo de Paulo Câmara (PSB) para lançar Marília Arraes (PT) à prefeitura de Recife. A deputada perdeu para João Campos e acabou se indispondo depois com o partido na eleição para a mesa diretora da Câmara, quando negociou cargo, atropelando a liderança do partido. A leitura no PSB é de que ela deve sair para deputada federal em 2022.

Ciro Gomes ficou quatro horas e meia conversando sobre conjuntura e projetos no podcast Flow. No PDT, uma observação pertinente: a entrevista começou no outono e terminou no inverno.

LEIA: Amanda Salgado: “Falsos patriotas…o verde e amarelo é nosso!”
LEIA: Pazuello lidera em potenciais falsos testemunhos; CPI aponta 38
LEIA: Tasso pode apoiar Ciro: ‘Candidato de centro não tem que ser do PSDB’

Ciro Gomes, presidenciável do PDT
Arte: Kleber Sales

Governo quer flexibilizar validade de alimentos no Brasil

Em um aceno ao setor de supermercados, o governo vai criar um grupo de trabalho para avaliar proposta de flexibilização da regra que trata da validade de alimentos no Brasil. A sugestão é adotar modelo que permita vendas de baixo custo e doações a partir de determinado prazo.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Wilson Witzel diz que é perseguido por investigar morte de Marielle
LEIA: Witzel diz que revelará ‘fato gravíssimo’ contra Bolsonaro em reunião sigilosa

Witzel: Milícia atua na máfia da saúde no RJ; ‘Corro risco de vida’

Em depoimento à CPI da Covid nesta quarta-feira (16) no Senado, o ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, afirmou que ele e sua família correm risco de vida e que seu impeachment foi financiado por uma máfia na área de saúde.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Casal acusa jovem negro de roubo, é denunciado por racismo e demitido
LEIA: 19J: Manifesto da JS-SP pede povo unido por vacina, trabalho e fora Bolsonaro

Sociólogo diz que desistência de Huck ‘beneficia centro-esquerda’

Em entrevista publicada no Estadão e assinada pelo jornalista Pedro Venceslau, o especialista em pesquisas eleitorais, sociólogo Antonio Lavareda, presidente do conselho do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), disse que os partidos que buscam uma “terceira via” nas eleições presidenciais de 2022, como alternativa à polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), precisam encontrar um nome que atinja os dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto até o início do ano que vem.

Leia a matéria completa aqui.

LEIA: Kalil não descarta ser vice de Ciro Gomes: “É um ótimo nome”
LEIA: Flávio Dino: ‘Não excluo Ciro Gomes e PDT de qualquer debate’

LEIA: Luciano Huck desiste da presidência em 22 e terá domingo na Globo

Veja mais notícias no BRI.

Compartilhe

Written by:

1.631 Posts

Siga nossas redes! https://linktr.ee/brasilindependente
View All Posts
Follow Me :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.